Município de Alenquer

Empreitada de "Requalificação do Edifício da Casa da Torre"

Empreiteiro: Pinto Miranda, Engenharia e Construção, Unipessoal, Lda.               

 

Fase atual: Execução

 

Valor contratual (C/IVA): 619.040,00€

             

Prazo de execução: 365 dias, suspensa por 40 dias por "trabalhos de arqueologia que bloquearam a frente da obra"

 

Descrição: O edifício “Casa da Torre”, que, após a presente intervenção, passará a ser designado de “Museu Hipólito Cabaço” situa-se no centro da vila de Alenquer, mais propriamente, na sua conhecida encosta do casco histórico onde a malha urbana é caraterizada por manta de retalhos que aglutinam vários espaços.

 

A intervenção incide essencialmente na preservação e conservação do edifício em questão, através da substituição de revestimento e pisos interiores, algumas caixilharias que não se encontram adequadas. Apesar de se encontrar em plena encosta não foi esquecido a acessibilidades dentro do edifício, reformulação da instalação elétrica, reformulação da rede de águas e esgotos, dotação do espaço com segurança (incêndio e intrusão), substituição do sistema de climatização por outro mais eficiente e resolução de problemas de infiltrações.

 

Não se pretende grandes alterações a nível de estética original da edificação e mantém-se a traça exterior do edifício. A compartimentação interna será organizada segundo o projeto de museologia onde existirá apenas a criação de mais um compartimento para instalação acessível, os outros espaços apenas são adaptados às necessidades.

 

A intervenção visa requalificar os espaços e em alguns pontos será necessário “adicionar” uma estrutura independe da existente a nível da especialidade estabilidade para permitir a instalação de um meio de elevação mecânico para acessibilidade ao piso 1. A instalação de ITED nova deverá ser ligada à caixa telecomunicações existente no exterior, de forma subterrânea.

 

É necessário um novo sistema de AVAC para garantia de que as peças de museologia tenham as condições necessárias para a sua exposição.

 

Prevê-se a reformulação da rede de águas e esgotos. A rede de esgotos prevê uma nova ligação ao coletor público que percorre a Calçada Francisco Carmo.

 

A intervenção no exterior baseia-se, essencialmente, nos arranjos exteriores do primeiro patamar do jardim a tardoz e nos trabalhos subterrâneos no pátio de entrada no edifício, necessários para permitir a ligação das infraestruturas a este.

 

Os arranjos exteriores do primeiro patamar do jardim a tardoz caracterizam-se por plantação de novas árvores (da mesma espécie das existentes), plantação de prado de sequeiro, instalação de bancos em betão para contemplação da paisagem, e mini-plataforma de palco para conto de histórias e/ou outras artes. Está também previsto o “remate” aos paramento verticais, através da plantação de trepadeiras para dissimulação dos paramentos confinantes com edifícios particulares.

 

No pátio exterior de acesso ao edifício pretende-se que este seja intervencionado com elementos de acessibilidade (rampas de acesso) e as infraestruturas necessárias.

Voltar ao topo