Município de Alenquer

Freguesia de Ota

Canhão Cársico de Ota
Canhão Cársico de Ota

Já era freguesia em 1259, do termo de Alenquer. Foi curato anexo à freguesia de São Pedro de Alenquer. No princípio do século XIX foi-lhe integrada parte da freguesia de Paul de Ota, então extinta pelo insignificante número de fogos que a compunham. É a mais extensa freguesia do concelho.Crê-se que o topónimo Ota deriva do árabe (uata) e quer dizer sítio baixo. De facto, tratava-se de um vasto campo alagadiço, o Paul da Ota, aquele que D. Sancho I doou, em 1189, ou 1193, ao convento de Alcobaça, doação confirmada em 1195 por Celestino III. Aqui realizaram os monges as primeiras obras de arroteamento e drenagem realizadas no país, que posteriormente aplicaram nos coutos de Alcobaça. O paul da Ota será coutado, em 1486, por D. João II.A vasta propriedade que pertenceu aos frades cistercienses, passou mais tarde a ser explorada indiretamente.A Quinta de Ota, certamente parte dessa antiga granja, estava, na segunda metade do século XV na posse de Pedro Afonso e era foreira ao Mosteiro de Odivelas. Em 1499 foi este prazo vendido a Rui de Figueiredo, escrivão da fazenda e fidalgo da Casa Real. Aqui se fundou, em 1524, um morgado, que no século XIX era administrado pelos condes de Belmonte (Figueiredo Cabral da Câmara), descendentes de Rui de Figueiredo.Conta a tradição que o Marquês de Pombal, na sua ida para o desterro, esteve alguns meses hospedado na Quinta de Ota; e que a rainha D. Maria II, hóspede também dos senhores de Ota pelo tempo da cólera, aqui estabeleceu o seu ministério. Esta região foi, no entanto, habitada desde tempos pré-históricos, conforme comprovaram algumas descobertas arqueológicas aqui realizadas pelo geólogo Carlos Ribeiro, entre 1864 e 1885. Também Hipólito Cabaço, em 1932, localiza a importante estação arqueológica que é o Castro da Ota, onde recolheu muitos materiais dos períodos Eneolítico, Bronze, Ferro e Romano.Armas e Bandeira: Escudo vermelho, uma banda de duas tiras enxaquetada de vermelho e prata e perfilada de ouro, acompanhada no topo de uma pomba de prata, bicada e aureolada de ouro e, em baixo e do lado oposto, de duas fontes heráldicas, alinhadas em banda. Coroa mural de três torres de prata e listel branco com a legenda “Ota”, a negro. A bandeira é amarela, cordão e borlas de ouro e vermelho, haste e lança douradas.Área: 46 km²Lugares: Ota, Aldeia, Paços, Base Aérea

Voltar ao topo