Município de Alenquer

Sobre Alenquer

LOCALIZAÇÃO

Situada numa encosta que mais tarde lhe valeria o título de Presépio de Portugal, a vila de Alenquer conta com séculos de história, tendo tido um papel preponderante na história de Portugal. Berço de Damião de Góis, das Festas do Império do Divino Espírito Santo e predileta de Camões, Alenquer encontra a sua morada na Estremadura, sendo um dos 15 concelhos que integram o distrito de Lisboa. Sede do terceiro maior concelho do distrito, com uma área de 304,22 km², a paisagem de Alenquer é emoldurada pelas colinas da Serra de Montejunto e pela planície ribatejana, onde predomina a vinha, motor ancestral da sua economia.

CONCELHO

Pontilhada por inúmeras quintas antigas, com as suas casas senhoriais rodeadas de campos vinhateiros, a região possui uma cultura enológica consolidada, em que Alenquer se destaca pelos seus vinhos vastamente premiados.Com um grande património religioso e cultural, é fácil encontrar no concelho de Alenquer castelos, conventos, igrejas, ermidas, quintas e casas senhoriais. Ponto de encontro para inúmeras iniciativas, que vão desde romarias a outras manifestações culturais, o concelho orgulha-se de manter ativas as suas principais tradições, tais como a Bênção do Gado, o Pintar e Cantar dos Reis, ou o Leilão dos Cargos.

ACESSOS

A 30 minutos de Lisboa e com acessos privilegiados, sendo casa de um dos grandes hubs logísticos do país, o concelho de Alenquer é também ímpar enquanto parque industrial, oferecendo às empresas que se queiram instalar no concelho uma posição geográfica estratégica, com uma ligação rápida quer ao norte, quer ao sul do país. A proximidade e a facilidade no acesso às duas principais autoestradas portuguesas (A1 e A2) conferem a Alenquer uma localização privilegiada para uma ampla gama de setores de atividade.

SETORES ECONÓMICOSAlicerçando-se num forte setor primário, o concelho vê os setores secundário e terciário ganhar uma expressão cada vez maior, numa simbiose perfeita entre a vertente rural e a vertente industrial.

ORDENAMENTO DO TERRITÓRIOO concelho divide-se em 11 Freguesias e Uniões de Freguesia: União de Freguesias de Abrigada e Cabanas de Torres, União de Freguesias Aldeia Galega da Merceana e Aldeia Gavinha, União de Freguesias de Alenquer, União de Freguesias Carregado e Cadafais, União de Freguesias de Ribafria e Pereiro de Palhacana e Freguesias de Carnota, Meca, Olhalvo, Ota, Ventosa e Vila Verde dos Francos.À data dos Censos de 2021, a população residente no concelho de Alenquer é de 44.428 habitantes.A Norte, o concelho de Alenquer está limitado pelos concelhos de Azambuja e Cadaval, a Sul pelos de Vila Franca de Xira, Arruda dos Vinhos e Sobral de Monte Agraço, a Poente pelo de Torres Vedras e a Nascente pelo de Azambuja e pelo rio Tejo.No que respeita à orografia do território abrangido pelo concelho, pode observar-se uma divisão em três zonas: a zona serrana, a zona sub-serrana e a zona de planície.

FERIADO MUNICIPAL

Quinta-feira da Espiga

Da tradição: Ritual ancestral, no calendário das festas cíclicas da liturgia católica, a Quinta-feira de Ascensão, popularmente e mais para Sul do País também designada por Quinta-feira da Espiga ou Dia da Espiga, assinala-se quarenta dias depois da Páscoa recaindo invariavelmente no mês de maio. Considerado pelo povo como “o dia mais santo do ano” e obrigatoriamente dia de descanso, é marcado por uma ida ao campo para merendar e colher o tradicional ramo de espiga, que pendurado atrás da porta da casa é propiciatório de abundância durante todo o ano. Compõem este ramo as espigas de trigo, raminhos de oliveira, papoilas, pampilhos, também chamados malmequeres ou margaridas, que simbolizam, em conjunto, pão, azeite, dinheiro e alegria.

Da sua realização: Dia de feriado municipal no concelho de Alenquer, há muitos anos, trabalho ou escola não são impedimento de cumprir a tradição. Ainda que tenha caído em algum desuso, por muito que se aprecie e dependa da vida e hábitos urbanos, um dia de solene descanso é uma oportunidade para aproveitar o inicio do bom tempo e, a par de uma caminhada, tendo por fundo uma paisagem rural e natural, de fazer um piquenique no campo, em família ou em grupo de amigos, e compor um ramo da espiga a preceito. Conforme se usa por aqui, três espigas de trigo, três tranquinhos de oliveira, três papoilas, três pampilhos ou malmequeres ou mesmo margaridas, podendo também juntar-se-lhe um tranquinho de bacelo. Tudo atado com um bocado de guita, há ainda quem coloque sob o nó um pouco de miolo de pão e um cêntimo. Com efeito estético, pode ainda ser oferecido a quem se deseje prosperidade ou a quem não teve oportunidade de o ir colher. A par desta tradição realiza-se a Feira da Ascensão ao longo de cinco dias, sendo inaugurada solenemente na noite de quarta-feira, véspera do dia da Ascensão e encerrando no domingo já perto da meia-noite. Concebida de raiz em 1982, procurou afirmar-se como espaço e momento de divulgação e fomento das potencialidades do concelho de Alenquer nas suas vertentes económicas, culturais, recreativas, associativas, etc.

 

 

Voltar ao topo