Município de Alenquer

Identidade Visual

BANDEIRA E ARMAS

Do século XIII data a mais antiga versão das armas de Alenquer que conhecemos. Surge num selo do concelho, destinado à autenticação de um documento datado de 1232. Tem como elemento central uma árvore que, segundo José Mattoso, pretende provavelmente significar a organicidade do concelho.Ainda no mesmo século, também num selo pendente de um documento notarial em pergaminho, datado de 1270, aparece uma outra versão do emblema autárquico: apresenta-se com um castelo de duas torres saindo de um pé-de-água formado por duas faixas de ondas, ostentando, entre as torres, um escudo de tipo peninsular com as armas de Portugal de então.No século XVI, reinado de D. Sebastião, mantêm-se o castelo de duas torres e as armas de Portugal na heráldica do concelho. Mas as duas faixas de ondas, verdadeiro distintivo, estão já substituídas por um cão. Esta é a versão que aparece no padrão que assinala a construção da ponte do Espírito Santo, de 1571. Na obra de Inácio de Vilhena Barbosa "As cidades e vilas da Monarchia Portugueza que teem brazão d’armas", publicada em 1860, a descrição das armas de Alenquer é “em campo de prata um cão pardo preso a uma árvore com um grilhão de ouro”, ou seja, o castelo é substituído por uma árvore.Em finais do século XIX, vulgariza-se uma versão que há de durar até à ordenação das armas atuais: um cão a guardar o castelo (de uma torre), mais uma vez, e que é a que se vê esculpida ou moldada repetidas vezes no edifício dos Paços do Concelho, construído entre 1887 e 1890.Armas atuais, bandeira e selo, têm a seguinte ordenação, definitivamente aprovada em 1936: de ouro com um castelo de cor azul aberto e iluminado do campo. Em contrachefe, um cão de negro, deitado, tendo a mão direita sobre a esquerda. Orla de catorze rosas naturais vermelhas, folhadas de verde. Coroa mural de prata de quatro torres. Listel branco com os dizeres “Vila de Alenquer” a negro.O ouro do campo significa nobreza, fidelidade, constância, poder e liberalidade; o castelo, que representa a força, é azul, significando este esmalte zelo, caridade e lealdade; o cão, que representa a fidelidade, a amizade e a bondade, é de negro, significando este metal firmeza, obediência, honestidade e cortesia; as rosas, que representam a caridade e a pureza, são de cor vermelha, porque este esmalte significa vitórias, vida e alegria, e o verde do folhado, esperança e fé. A bandeira é de azul, cordões e borlas de ouro e azul, haste e lança douradas.O selo é circular, tendo ao centro as peças das armas e em volta, dentro de círculos concêntricos, os dizeres “Câmara Municipal de Alenquer”.

 

 

Multimédia0

Voltar ao topo